Matheus, um rapaz de 20 anos morador de Osasco (SP), estava em direção ao ponto de ônibus, pronto para mais um dia de trabalho. Ao atravessar a rua, ele admite hoje, com imprudência, ouviu a freada de um carro e, quando se viu, já estava em cima do capô, passando pelo vidro do carr. Uma cena que, para uma avenida de médio porte onde este acidente ocorreu há cerca de dois anos, foi bastante assustadora.

Auxílio Doença acidentário
Ele não sofreu ferimentos graves, não precisou ser levado de ambulância ao pronto-socorro nem nada do tipo. Mas precisou enfaixar a perna direita, acertada pelo para-choque. Tudo isso que contamos é para explicar que Matheus, um auxiliar de escritório, conseguiu algum tempo de recuperação em casa recebendo o benefício do auxílio doença , mesmo com poucos meses de contribuição.

Assim como a brecha que ele deixou no capô do carro, a lei pode ajudá-lo a se recuperar de incidentes como esse.

Acidente entra no auxílio doença?

A resposta para a pergunta é sim. O chamado auxílio doença acidentário cobre os trabalhadores que ficam impedidos pela mesma quantidade de tempo de um auxílio comum (15 dias ou mais) e que sofreram acidente no ambiente de trabalho, além dos trajetos de ida e volta como esse (como foi o caso do menino Matheus).

A pergunta básica é que, se o benefício é liberado para quem tem uma carência de, no mínimo, 12 contribuições, como ele conseguiu este valor? A resposta está na brecha da lei proposta para os acidentários e presente no site da Previdência (http://www.dataprev.gov.br/servicos/auxdoe/auxdoe.htm). O item que trata de carência fica inválido em casos de acidente.

E assim Matheus, trabalhando há apenas 7 meses com a carteira assinada, pode adquirir direito sobre o auxílio-doença. O salário dele, de R$750 à época, lhe rendeu uma média de R$ 550 em benefícios durante os seis meses de recuperação e fisioterapia do joelho direito, bastante contundido na oportunidade.

Após estes seis meses, Matheus parou de receber o benefício pois voltou voluntariamente ao trabalho. Essa é uma das razões para a suspensão do benefício. Para mais informações sobre o sistema previdenciário e benefícios, continue ligado!